Como é realizada a doação de embriões? - Clínica Reproduce
BLOG

Como é realizada a doação de embriões?

Formado a partir da união dos gametas femininos e masculinos (óvulos e espermatozoides, respectivamente), o embrião é o primeiro estágio do desenvolvimento de um ser humano. Até o seu terceiro dia, o embrião está em estágio de clivagem, composto em média por oito células.

Por volta do quinto dia, ele passa para a fase de blastocisto, que contém células capazes de dar origem a qualquer tecido do corpo humano.

É na fase de blastocisto que o embrião se fixa na parede do útero, em um processo chamado de implantação embrionária, conhecido também como nidação. Dessa forma ele poderá continuar o seu desenvolvimento até o fim da gestação.

Atualmente, as técnicas de reprodução assistida, mais especificamente a fertilização in vitro (FIV), permitem a doação de embriões. Ou seja, embriões formados a partir dos gametas de um casal podem ser utilizados por outro.

Saiba mais, a seguir, sobre a doação de embriões, como ela é feita e quais as normas que devem ser cumpridas nesse processo.

O que é a doação de embriões?

Em uma gravidez natural, o embrião se forma no interior do corpo da mulher, quando o óvulo liberado por um dos ovários se encontra com um espermatozoide na tuba uterina. Dessa forma, portanto, só é possível para cada mulher gestar seus próprios embriões.

O avanço das técnicas de reprodução assistida, no entanto, permitiu coletar e manipular os gametas masculinos e femininos, bem como realizar a fertilização em laboratório. Dessa forma, tornou-se viável a doação de embriões, porém somente dentro do contexto de uma FIV.

Como é realizada a doação

Em uma FIV, o primeiro passo é a estimulação ovariana, quando a mulher administra hormônios injetáveis. O objetivo dessa etapa, iniciado nos primeiros dias após a menstruação, é estimular os ovários da paciente a produzirem mais do que um óvulo naquele ciclo menstrual.

No momento ideal, os óvulos que estiverem maduros serão coletados em um procedimento de aspiração, para serem fecundados em laboratório, por profissionais especializados, com o esperma do parceiro.

Os embriões resultantes são então cultivados por três a cinco dias, de acordo com a estratégia definida pelo médico. Quando estiverem no estágio desejado, os embriões já podem ser transferidos para o útero da mulher, na expectativa de que pelo menos um se implante na parede uterina para concretizar a gestação.

Quando, em um ciclo de FIV, forem gerados mais embriões do que o casal for utilizar na transferência, eles devem ser criopreservados (congelados) para utilização futura ou para doação.

Como é feita a transferência dos embriões doados

O número de embriões transferidos a cada ciclo pode variar de um a quatro, de acordo com a idade da mulher – quanto mais velha for a paciente, mais embriões podem ser utilizados na transferência. O número de embriões permitido de acordo com a idade é estabelecido por uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM).

No caso dos embriões doados, eles devem ser descongelados antes do procedimento. A transferência é um procedimento simples, não muito diferente de um exame ginecológico de rotina. A mulher fica em posição ginecológica e o médico insere os embriões no útero por meio de um cateter.

A paciente fica deitada, em repouso, por cerca de meia hora e então pode ir para casa e voltar a suas atividades normais. Cerca de 12 dias depois já é possível realizar o exame de sangue para confirmar a gravidez.

Normas para doação

A doação dos embriões é sempre altruísta e anônima. Conheça as principais regras envolvidas nesse processo, estabelecidas pelo CFM, a respeito da doação de embriões:

A doação costuma ser um recurso para casais cuja mulher não tem óvulos em quantidade suficiente ou com a qualidade necessária para gerar embriões próprios, bem como para casais homoafetivos e pessoas solteiras que desejam ter filhos.

Em todos esses casos, existe também a opção de recorrer à doação de gametas, utilizando o óvulo do casal com o sêmen doado ou vice-versa. A alternativa mais adequada será indicada pelo médico, após uma criteriosa investigação e análise do caso. As normas para doação de gametas são as mesmas estabelecidas para a doação de embriões, incluindo a idade limite de 35 anos para óvulos e 50 anos para espermatozoides.

Se você quiser saber mais sobre a doação de embriões, suas indicações e particularidades, toque aqui.

Compartilhar:

Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *