Varicocele - Clínica Reproduce

Varicocele

Anomalias no funcionamento das válvulas das veias do cordão espermático, estrutura que sustenta e mantém os testículos na bolsa testicular, podem causar varicocele.

A doença provoca a dilatação das veias e o surgimento de varizes na região escrotal. Nos estágios iniciais, elas são assintomáticas e dificilmente percebidas. À medida que evoluem tornam-se mais evidentes, manifestam sintomas e tendem a causar a diminuição da produção de espermatozoides e alterações na qualidade, podendo resultar em infertilidade.

Apesar de ser considerada a causa mais comum de infertilidade masculina, isto só acomete 1/3 dos portadores de varicocele.

Há a possibilidade de correção cirúrgica e a restauração da fertilidade na maior parte dos casos. Além disso, não há risco de alteração na função sexual.

Este texto explica a varicocele. Destaca as causas que estimulam o surgimento de varizes, os sintomas que indicam a necessidade de procurar auxílio médico, diagnóstico e tratamento.

O que provoca a varicocele?

Ainda que as causas da varicocele permaneçam desconhecidas, ela foi descrita pela primeira vez no século XVIII, motivando diferentes pesquisas e o surgimento de várias teorias para explicar seu desenvolvimento.

A mais aceita até o momento propõe que o problema ocorra a partir do funcionamento inadequado das válvulas internas das veias do cordão espermático, responsáveis por regular o fluxo sanguíneo para os testículos. As alterações provocam o refluxo do sangue, a dilatação das veias e o surgimento das varizes. O processo é semelhante ao das veias varicosas que se formam nas pernas.

As veias dilatadas tendem a causar a elevação da temperatura escrotal, fisiologicamente mais baixa do que a do corpo humano e ideal para a produção dos gametas masculinos. Ou seja, o aumento da temperatura leva à baixa produção de espermatozoides, dificultando a concepção.

Embora geralmente a varicocele se forme na puberdade, pode ocorrer em qualquer idade. Na puberdade, aumenta o risco para o desenvolvimento anormal dos testículos, que podem atrofiar (encolher).

A atrofia do testículo afetado aumenta a pressão das veias, tornando-as mais expostas às toxinas presentes no sangue e, consequentemente, aumentando o risco de danos testiculares.

Em homens com mais de 30 anos, quando está em estágios mais graves de evolução, pode provocar ainda alterações nas células responsáveis pela produção de testosterona. O desequilíbrio nos níveis do hormônio pode comprometer ainda mais a produção dos gametas masculinos.

Quais são os sintomas de varicocele?

A varicocele é assintomática na maioria dos casos, principalmente em estágios iniciais. No entanto, em graus mais avançados podem ocorrer infertilidade e até atrofia testicular.

Como a varicocele é diagnosticada?

A suspeita de varicocele surge durante o exame físico, que proporciona a identificação de atrofia testicular e visualização e palpação das varizes quando elas estão em graus mais avançados de desenvolvimento.

O grau de desenvolvimento também é determinado durante o exame físico. Quando elas não podem ser visualizadas e palpadas facilmente, é realizada a manobra de Valsalva, expiração forçada com lábios e nariz obstruídos que leva ao aumento da pressão abdominal, tornando-as mais evidentes. As varicoceles são classificadas, assim, em três graus de desenvolvimento:

Grau I: quando as varizes ainda são pequenas e palpadas apenas com a manobra de Valsalva;

Grau II: quando elas possuem tamanhos moderados e são palpadas sem a utilização da manobra de Valsalva;

Grau III: quando são palpadas e visualizadas facilmente.

Outros exames são ainda realizados para confirmar o diagnóstico e descartar a possibilidade de a varicocele ter sido provocada por outras causas:

Ultrassom com doppler: tem como propósito avaliar a circulação dos vasos sanguíneos e o fluxo de sangue. Também é importante para descartar outras causas que podem provocar o surgimento de varizes, como tumores que tendem a comprimir veia espermática e alterar o fluxo sanguíneo, assim como o grau de desenvolvimento e a assimetria testicular.

Espermograma: o espermograma possibilita analisar a quantidade, forma e motilidade dos gametas masculinos, auxiliando na indicação e acompanhamento do tratamento.

Os resultados diagnósticos orientam para a abordagem terapêutica mais indicada em cada caso.

Como a varicocele é tratada?

Para varicocele nos estágios iniciais, é indicada apenas a observação periódica. No entanto, algumas condições indicam a necessidade de tratamento:

Nos casos em que o tratamento é indicado, o objetivo é a oclusão das veias que drenam os testículos afetados, que pode ser realizada por embolização ou por cirurgia propriamente.

Correção cirúrgica: a cirurgia é indicada quando a varicocele é classificada no grau II ou III de desenvolvimento e provoca infertilidade. Atualmente, a técnica mais utilizada para promover a oclusão das veias é a microcirurgia subinguinal, conhecida ainda como varicocelectomia subinguinal assistida por microscópio.

Minimamente invasiva, faz uso de microscópio ou outro meio de magnificação de imagem para facilitar a identificação das veias, evitando, dessa forma, a ocorrência de lesões. A técnica apresenta ao mesmo tempo taxas altas de sucesso e mínimas de recorrência.

Após o tratamento, a fertilidade é restaurada em parte significativa dos casos. Quando isso não acontece, o método mais indicado para obtenção da gravidez é a FIV (fertilização in vitro) com ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoide), que revolucionou o tratamento de infertilidade masculina por fatores graves.

Compartilhar:

Deixe o seu comentário: